Caixa Econômica Federal descumpre contratos e aumenta jornada para 8 horas: trabalhadores começam a se organizar.

Equipe de trabalho em reunião

A medida provisória que incentiva a contratação de jovens também altera regras para outras categorias de trabalhadores, entre eles os bancários. A mudança permite o aumento da jornada de trabalho dos bancários. Enquanto a Febraban (Federação Brasileira de Bancos) diz que a medida se alinha a práticas modernas, os representantes dos trabalhadores atestam que a medida provisória é um ataque aos bancários, feito para atender exclusivamente a um forte lobby feito pelos bancos.

Na Caixa Econômica Federal, foi circulado um comunicado interno, no qual o banco informa que o regime de trabalho diário dos empregados será alterado para oito horas, conforme estabelece a Medida Provisória nº 905, exceto para aqueles que trabalhe exclusivamente na função de caixa. A comunicação interna diz que “todas as disposições normativas que conflitem com o novo marco legislativo ficam automaticamente revogada”.

Contudo, o contrato de trabalho dos empregados estabelece jornada diária de 6 horas. Essa disposição está especificada em contratos de trabalho e nos editais de concurso nos quais os bancários foram aprovados. Incidem as regras de direito trabalhista, civil e administrativo, que protegem os direitos dos bancários.

Por essas razões, os trabalhadores começam a se organizar a fim de mover medidas judiciais para impedir essa ilegalidade que prejudica os bancários.

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Continue lendo: